segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Liberdade

Tenho estado a ler "Adrenalina" do Jeff Abbott (que só por acaso tem sido extremamente interessante) durante as minhas tardes na praia. E já há alguns dias, que quando me começa a doer a cabeça devido as esforço dos olhos e ao sol, vou até à agua e flutuo, enquanto uma maré de pensamentos me invade. Ali sou só eu e a minha liberdade, sou só eu e a minha liberdade com as ondas a refrescarem-me confortavelmente. E se eu de repente fosse privada do silêncio, do som, da comida, da água, do frio, do calor, de dormir, de estar acordada, dos prazeres da vida, da música, da leitura, de respirar ou de espaço. Se de repente violassem a minha privacidade, a minha mente, o meu corpo, os meus pensamentos. E se de repente eu perdesse a minha liberdade? Se eu tivesse de fugir para manter a minha vida, ou mesmo a minha sanidade mental? Se não pudesse dizer não ou sim conforme a minha vontade. Na verdade, se fosse o único modo de vida, ou a única maneira de sobreviver, o meu corpo, assim como a minha mente, acabariam por se habituar. Não e tão estranho? 
Temas? Beijo!